Homepage
Chat Papo Católico
Hospedagem de Sites
Sistema de Notícias
Loja Virtual
Rádios Católicas
Evangelhos Animados
Mural de Recados
Vela Virtual
Links e Parceiros
Cadastre-se
Fale Conosco
 
Receba novidades do catolicos em seu e-mail:
 
Notícias da Igreja Católica

México: Bispos, “reconstruir tecido social e civil” antes das eleições de 2018

Data: 14/11/2017

Cidade do México, 14 nov (SIR) – “Numerosos analistas destacam que a grande mobilização dos cidadãos após o terremoto deve logo se voltar para uma mobilização a fim de construir uma sociedade civil mais organizada, mais participativa e mais responsável pelo bem comum nacional”. É uma dos trechos da intervenção com a qual ontem o card. Francisco Robles Ortega, arcebispo de Guadalajara e presidente da Conferência episcopal mexicana (Cem), abriu os trabalhos da assembleia plenária dos Bispos mexicanos.

O card. Robles Ortega, que destacou a grande obra de solidariedade organizada pela Igreja através da Cáritas e cada uma das Dioceses nas últimas semanas, continuou explicando que nesta tarefa de reorganização da sociedade civil “o trabalho da Igreja é insubstituível”. De fato, “a reconstrução não pode ser só material. A principal reconstrução que hoje se pede ao nosso País é de ordem espiritual, cultural e social”. O presidente da Cem lembrou as profundas raízes religiosas do povo mexicano, nascido de suas diferenças culturais e éticas, graças à aparição de Nossa Senhora de Guadalupe.

Por isso, os Bispos apontam um “itinerário de renovado encontro com Nossa Senhora de Guadalupe, que nos permita colaborar na reconstrução espiritual e material da nossa nação. Nesta perspectiva, os esforços que orientamos para o 2031 e o 2033 (respectivamente o 500º aniversário da aparição de Guadalupe e o bimilenário da redenção, n.d.r), inclusive o nosso Projeto global, são muito importantes”

O card. Robles destacou também a próxima campanha eleitoral para as presidenciais do próximo ano. Sublinhou que “jamais como agora o cenário é marcado pela desconfiança e insatisfação”: os partidos políticos tradicionais perdem apoio, os candidatos independentes parecem oferecer uma alternativa que na prova prática, porém, não se tornam críveis. Deste modo, “o voto católico exercido conscientemente é muito árduo”.

Neste contexto, a Igreja se manifesta através de três pontos essenciais. Em primeiro lugar “a Igreja como instituição não deve fazer propaganda de algum partido ou candidato. Não é nossa missão substituir as consciências, mas muito mais iluminar”. Em segundo lugar, “é preciso evitar que o nosso povo se convença que o critério é o que escolher o mal menor”, mas sim o do “bem possível”. Buscar o bem possível hoje significa “promover toda contribuição ao bem comum, à paz, à segurança, à incerteza, à justiça, ao respeito dos direitos humanos, à real solidariedade com os mais pobres e excluídos. Em terceiro lugar, concluiu o presidente da Cem, deve ser incentivada “a maior ampla participação possível por parte dos cidadãos”.

Homepage
 
CATÓLICOS.COM.BR
falecom@catolicos.com.br
formulário de contato
visitantes online agora: 23